low carb

Dieta low carb


Tendência: dieta low carb. Como funciona?

Emagrecer em pouco tempo é uma das principais promessas da dieta low carb, mas será que é possível viver a longo prazo obedecendo às regras dessa dieta?

Normalmente, dietas restritivas trazem uma perda de peso rápida, mas podem causar uma série de problemas à saúde quando mantidas por muito tempo. Isso acontece porque o corpo precisa de diferentes nutrientes para funcionar e, quando paramos de consumir algum grupo de alimentos, o organismo começa a gastar todo o estoque do corpo para fornecer energia ao cérebro.

Então devo esquecer a dieta low carb?

Como toda e qualquer dieta, é importante consultar o seu nutricionista antes de começar. Se tudo estiver ok, é aconselhável não passar mais de 30 dias na low carb. Depois da perda de peso, é importante criar uma rotina que traga uma alimentação equilibrada, com todos os nutrientes que o seu corpo pede.

Para começar a dieta low carb, é preciso retirar os carboidratos refinados (que normalmente contêm farinha branca), inserir os complexos (conhecidos como integrais) e consumir frutas, verduras, legumes, peixe, ovos, frango e carnes magras. Sabe aquele chocolatinho que você ama comer depois do almoço? Pode esquecer.

Para você ter uma ideia melhor de como funciona, em um plano alimentar regular o consumo de carboidratos deve ficar entre 45-55% do total de nutrientes consumidos no dia. Na dieta low carb, essa porcentagem deve ficar abaixo dos 20%.

Mas como a dieta low carb funciona no organismo?

Na dieta low carb, o corpo é obrigado a utilizar a gordura como sua principal fonte de energia, na forma de corpos cetônicos que vão substituir a glicose que seria obtida pelos carboidratos. Esses corpos cetônicos são substâncias solúveis em água, derivados da quebra dos ácidos graxos que ocorre no fígado. Eles são usados como fonte de energia no coração, cérebro e tecido muscular.

Quando esse processo acontece, significa que o corpo está em cetose, ou seja, ele atingiu um estado metabólico onde não se obtém mais energia por meio da glicose. O resultado disso é uma movimentação das reservas de gordura do organismo, que agora passam a ser utilizadas como combustível para o metabolismo, ocasionando um aumento na queima de gorduras.

É importante dizer que esse estado pode causar alterações neurológicas, ansiedade, irritações intestinais e mal-estar.

Alguns outros fatores também influenciam na perda de peso?

Antigamente as dietas tinham como premissa a baixa ingestão de gorduras. Acontece que dietas assim podem ser perigosas, pois o nosso organismo precisa dessas gorduras e elas também ajudam a trazer a sensação de saciedade.

Quando se fala em low carb, é importante entender que o alto consumo de carboidratos provoca uma variação na glicose sanguínea. Essa variação é responsável por aquela fome que vem pouco tempo depois de qualquer refeição, sabe?

Isso acontece porque as células precisam de insulina para absorver a glicose, e o hormônio produzido pelo pâncreas não para enquanto não retirar o excesso de açúcar da circulação.

É aí que o nosso cérebro recebe um sinal de que precisa de mais glicose e você logo começa a sentir fome. Quando os carboidratos são reduzidos, a sensação de saciedade dura muito mais tempo.

Outro ponto importante na dieta low carb é a digestão das proteínas x digestão dos carboidratos. Enquanto a quebra dos carboidratos exige menos energia do corpo, a digestão das proteínas acelera o metabolismo.

Por fim, a dieta low carb pode ser usada como um plano de partida para uma mudança de hábitos alimentares, e não somente para quem procura a perda de peso. A restrição de carboidratos faz com que a vontade de comer carboidratos refinados (doces, pães e massas brancas) e alimentos processados seja mais controlada, o que facilita a transição para uma dieta mais saudável.

 

Nenhum comentário


Artigos Sugeridos

Todos os Posts